PROCON-multas e base de cálculo

PROCON – MULTAS E BASE DE CÁLCULO


Muito embora tenha o Procon autonomia para arbitrar as multas, com base legal nos artigos 56 I e 57, ambos do Código de Defesa do Consumidor, e os Estados tenham total liberdade de criar suas legislações próprias, não há uma regra para o procedimento da dosimetria das multas.

Para um mesmo tipo de irregularidade, a multa poderá variar em 1000% para mais ou para menos, tudo dependendo do bom humor do julgador, haja visto que os parâmetros de cálculos são completamente aleatórios.

Poderão ter por base o tipo de irregularidade, o capital e porte da empresa, se a irregularidade é de cunho leve, médio, grave ou gravíssima, entre outras variáveis.

Nessa premissa, jamais uma multa do Procon poderá ter liquidez, certeza e muito menos exigibilidade, pois sua dosimetria somente depende do humor do julgador.

Multas em valores abusivos são consideradas como confisco pelo Código Tributário Nacional e podem e devem ser revistas pelo judiciário.

Não há como aceitar que um funcionário público tenha o poder de vida ou morte de uma empresa, apenas porque tem a caneta na mão e o poder discricionário que lei lhe proporciona.

Inúmeras irregularidades constatadas pela fiscalização passam desapercebido dos empresários, podendo citar como exemplo uma lata de refrigerante exposta à venda, cuja validade terminou, mas seu consumo não causa nenhum mal à saúde.

A previsão de validade de um produto também é algo aleatório, podendo variar para mais ou para menos, pois fabricantes aplicam uma grande margem nos prazos de validade para não virem a se comprometer.

Essa breve análise da dosimetria da multa serve para alertar as empresas autuadas, para não acatar passivamente a multa e pagar, e sim buscar seus direitos, seja na via administrativa com defesa e recurso, seja no âmbito do judiciário, onde muitas autuações estão sendo revistas e as multas reduzidas, mantendo a finalidade educativa e punitiva, mas sem comprometer o caixa e a continuidade da empresa.

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Essa matéria é pertinente na medida em que nós advogados atuantes em matéria do consumidor, verificamos algumas situações que extrapolam o bom senso, na medida em que a legislação que regula as ativid

Uma portaria em vigor a mais de 8 anos, expedida pelo Inmetro, de nº 333/2012 estabelece que todo o ponto de venda, seja ele comércio virtual, catálogos, vitrine ou balcão de loja, que exponha produt

Ao receber um Auto de Infração, o infrator tem 10 dias corridos para apresentar a defesa administrativa. Algumas irregularidades constatadas pelo fiscal podem ser penalizadas apenas com “advertência”,